Como enxergamos o mundo subaquático…


Da Redação
30/03/2016

 

É impossível enxergar claramente as coisas em baixo da água sem uma máscara, pois os nossos olhos foram criados para focalizar os objetos em um espaço aéreo. Quando o olho humano está em contato direto com a água ao invés de ar, o seu ambiente normal, a luz que entra no olho é refratada por um ângulo diferente e o olho não é capaz de focaliza-la. Ao criar um espaço aéreo em frente dos olhos, a luz entra e normalmente o olho é capaz de focar corretamente permitindo enxergar com nitidez, por isso a necessidade de usar uma máscara durante as atividades de mergulho.

Uma máscara de mergulho se diferencia de um óculos de natação porque existe nela um nariz acoplado, o que permite equalizar facilmente a pressão interna do ar com o meio externo, que vai aumentar conforme maior a profundidade. Para evitar qualquer tipo de desconforto, basta levemente exalar o ar pelo nariz durante a descida, igualando a pressão dentro da máscara. Óculos de natação não pode ser usado como máscara de mergulho em hipótese alguma, devido ao risco eminente de causar um barotrauma ocular.

A consideração mais importante para a escolha de uma máscara apropriada são o ajuste e conforto. A máscara bem ajustada vai fornecer uma vedação adequada e impedir a entrada de água durante o mergulho. Procurar uma loja especializada em equipamentos de mergulho também vai facilitar a tarefa, pois vendedores especializados darão dicas valiosas, além de várias opções e modelos.  Uma boa forma de verificar o ajuste é colocar a máscara contra o rosto sem vestir a tira na cabeça, e puxar um pouco de ar pelo nariz, prendendo a respiração por alguns instantes(atenção ao cabelo, bigode ou barba no interior da máscara). Se a máscara aderir ao rosto sem cair enquanto olhar para baixo, já é uma boa indicação. Experimentar modelos diferentes sempre é uma boa opção para ajudar na definição, pois mesmo se alguma já serviu, um outro modelo pode se ajustar melhor.

Dentre as diversas características em uma máscara, algumas são essenciais e outras são opcionais. Dentre as características essenciais podemos listar lentes de vidro temperado, uma armação rígida para segurar as lentes, uma tira ajustável dividida ao meio para distribuir o ponto de pressão na cabeça e a facilidade de segurar o “nariz” para equalizar as orelhas. Já outras características opcionais podem ser consideradas após atender as essenciais, como por exemplo janelas laterais, válvula de purga, lentes com grau, cores, etc.

As máscaras de mergulho fabricadas com silicone provem melhor conforto e ajuste, devido às características deste material. Podem ser de silicone claro ou escuro, sendo esta última mais usada na categoria conhecida como mergulho técnico, pois permite um efeito chamado “visão em túnel”, além de reduzir o reflexo das lanternas do dupla na lente da máscara(principalmente no mergulho em cavernas ou no interior de naufrágios). Mesmo assim, muitos mergulhadores recreativos também preferem máscaras de silicone escuro pelo efeito “túnel” e também por não ficarem “amareladas” como acontece com as de silicone claro quando vão envelhecendo. Uma boa providência para conservar melhor o seu material é manter a máscara longe do calor ou do sol excessivo.

Elas também podem ter mais opções com relação a quantidade de lentes, visores laterais e ainda o volume interno. Apneístas e pescadores subaquáticos preferem as máscaras de pouco volume interno, pois facilitam na equalização durante a descida ao exigirem menor quantidade de ar para este fim. Já para a fotografia subaquática com modelos, as máscaras de um único vidro que mostram mais o rosto são as mais indicadas.

 

 

Cuidados para não embaçar

Lentes de máscaras novas podem vir recobertas com uma fina camada de lubrificante (usado no processo de fabricação), que deve ser removida antes do uso, para possibilitar a ação de anti-embaçantes. A melhor recomendação é esfregar pasta de dente em cima da lente inteira usando os dedos, ou um pano macio e úmido, para remover a fina película. Um anti-embaçante deve ser aplicado na parte interna da(s) lente(s), pois a diferença de temperatura entre a água e o ar dentro da máscara, fará com que o ar condense formando gotículas que vão aderir ao vidro, embaçando a visão. Anti- embaçantes especiais para este fim estão disponíveis em lojas especializadas de mergulho, mas um bom shampoo infantil(que não arde nos olhos), também pode resolver o problema. O uso da saliva, um ótimo anti-embaçante, exige algum cuidado, pois uma eventual herpes bucal(ou labial) poderá se transformar em uma herpes oftalmológica, o que exige muito mais cuidados. Importante é aplicar a solução anti- embaçante escolhida antes de molhar a lente da máscara, pois do contrário, ele não trará o efeito desejado. Se já estiver molhada, secar novamente e aplicar o produto .

Os respiradores (snorkel) devem  ser fixados do lado esquerdo da máscara, pois no caso de uso para mergulho autônomo, as mangueiras do equipamento Scuba virão pelo lado direito.

Para vestir a máscara basta posiciona-la no rosto, encaixar corretamente o nariz e deslizar a tira por trás da cabeça, mantendo-a logo acima da orelha (nem em cima, nem abaixo), para obter a melhor fixação. Na sequência, tatear toda a borda da máscara, para verificar se não ficou dobrada e se fios de cabelos ou capuz (caso estiver usando) não ficaram presos nas bordas, o que permitiria a entrada de água durante o mergulho. Verificar a posição da tira e se ela não ficou dobrada, também é necessário.

 

 

Desalagando a máscara enquanto submerso

Mesmo com vários cuidados tomados, ainda é possível que entre água dentro da máscara durante o mergulho. Um sorriso, por exemplo, fará com que os músculos da face criem canais e por ali entre a água. Ou durante o mergulho, a nadadeira de outro mergulhador acidentalmente tocar na máscara, enfim, qualquer que seja o motivo, o praticante deve estar preparado para remover tranquilamente a água interna, e continuar normalmente o mergulho.

Para desalagar a máscara durante o mergulho é necessário substituir a água por ar, e o “nariz” acoplado ao equipamento vai ajudar nesta tarefa.  Ao exalar o ar pelo nariz dentro da máscara, este expulsará a água facilmente, desde que seja usada a técnica correta.

O primeiro passo é encostar o queixo no peito e respirar fundo enchendo os pulmões. Pressionar com os dedos a armação da máscara contra a testa, para impedir que o ar exalado passe diretamente por ali. Soprar uma pequena quantidade de ar pelo nariz começando a inclinar a cabeça para trás, terminando o movimento com a cabeça posicionada em 45 graus aproximadamente. Caso a máscara seja equipada com válvula de purga, a exalação do ar pelo nariz deve feita com a cabeça para baixo. Importante é executar os passos lentamente. Por usar um padrão diferente da respiração normal, é necessário manter a concentração em inspirar pela boca e exalar pelo nariz até que isso aconteça automaticamente. Para expulsar a água de dentro da máscara, uma exalação lenta e contínua é mais eficiente do que pequenas, curtas e fortes. Com a prática desenvolvida, é possível desalagar a máscara várias vezes com uma única respiração.

É perfeitamente possível remover e recolocar a máscara durante o mergulho, quer seja por necessidade ou intencionalmente. No caso de uma necessidade, como uma nadadeira acidentalmente bater na máscara, será necessário localizar, o que pode ser feito com a ajuda de nosso dupla, e recoloca-la no rosto. Hoje já é muito comum nos mergulhadores retirarem a máscara para posar para uma fotografia com o rosto aparecendo, e postar no “Facebook”.

Um bom curso de mergulho ensinará o desenvolvimento desta habilidade com proficiência, já que é uma das principais situações que podem gerar descontrole emocional ou até o pânico. Bons mergulhadores dominam tranquilamente a técnica de desalagamento de sua máscara .

O uso de lentes de contato exige um cuidado extra, que é manter os olhos fechados, para evitar de perdê-las.

 

REFERÊNCIAS
– Manuais da National Association Of Underwaters Instructors

 

Fotos: Alvanir Oliveira “Jornada”

Compartilhe:

Notícias

Mais acessadas


    Previsão completa


    Revista Mergulho n° 232 – Já nas bancas!

    Compre já seu exemplar!





    Assine nossa newsletter

    Fique por dentro

    Receba as novidades do mundo náutico